Sábado, 9 de Outubro de 2004

Informações sobre Aloe Vera (Barbadensis Miller )

aloplnt1.jpg 


Identificação



 O nome popular no Brasil dado em geral às Aloés é "Erva-babosa" e na vizinha Espanha é "Savila", no entanto, em Portugal nos ultimos tempos ficou conhecido como o "Cacto Aloé".

Aloés, são plantas suculentas, carnudas de folhas lanceoladas parecidas (e por isso confundidas) com agavas e cactos mas que não são de maneira nenhuma da família das crassuláceas, agaváceas, ou cactáceas como se tem divulgado ultimamente nos jornais, como sendo cactos. As Aloés são da família das liliáceas tal como são as cebolas, formando somente um conjunto biológico caracterizado por possuir determinadas características comuns e específicas.

 A Aloe Vera dá uma espiga com flores amarelas (embora às vezes e com a idade apareça tonalidades avermelhadas na base). As suas folhas são maiores e mais largas (quando adultas) tendo 40 a 50cm de comprimento e em geral 10cm de largura. Estas são voltadas para cima com o limbo menos dentado e com picos menos salientes.


A Aloé mais comum em Portugal e usada em jardins públicos de várias cidades e hortos particulares, que se tem confundido com a Aloe Vera, é a Aloe Arborescens e também uma espécie de folha larga e pequena chamada Aloé Mitriformis. A Aloe Arborescens, dá flores avermelhadas, sendo as suas folhas estreitas muito sobrepostas para os lados e muito dentadas com picos muito salientes.

 Actualmente é designado o nome Aloe Vera somente à planta da espécie Barbadencis Miller (com sinónimos de Aloe vera Linne; Aloe vera vulgaris Lamarck, Aloe vera fava Pers, Aloe vera elongata Murry, Aloe vera Baker.) e a uma sua variante asiática mais pequena de nome vera chinensis Baker. Mas, entre todas as Aloés, a Aloé seleccionada por cientistas como a melhor em termos de benefícios para a saúde é a espécie Aloe Vera Barbadencis Miller. Daí a aplicação do termo latino "Vera" ou seja a verdadeira Aloe. As outras espécies são apenas designadas Aloés com os respectivos nomes científicos, como no caso da Aloe Ferrox Miller, Aloe Perry Baker, Aloe Arborescens, etc. (em 1982 foram relatadas 300 espécies) mas há actualmente uma estimativa para cerca de 350 espécies.

 Explanação



A Aloe Vera, em particular, tem sido usada ao longo da História, como medicamento natural para diversos casos de doenças e para o rejuvenescimento (A polpa da Aloe Vera tem propriedades que fazem retardar o processo de envelhecimento das células). A sua popularidade por muitos séculos no campo terapêutico e cosmético, bem como os registos deixados desde há 3000 anos antes de Cristo até aos dias de hoje, foi relevante para que houvesse uma pesquisa séria e científica sobre esta planta.



 Em 1981 foi criada nos E.U.A. uma Associação Internacional Científica sobre Aloe Vera, denominada I.A.S.C. (International Aloe Science Council) com quadros técnicos a tempo inteiro, para a pesquisa e conhecimento exacto, desde as áreas de investigação química, biológica até à aplicação do produto final no campo da saúde. O I.A.S.C. está em estrita colaboração com a F.D.A. (Organismo que controla remédios e alimentos) americana. O Parênquima purificado e descontaminado livre do Látex da Aloe Vera, é reconhecido como um alimento suplementar pela F.D.A. americana e não como droga ou medicamento.



 Esta polpa é muito nutritiva, contendo um pequeno número mas rico no seu contexto de muco-polissacarídeos, em aminoacidos, minerais, vitaminas e enzimas (boas para todo o organismo), contendo também bons agentes anti-inflamatórios, agentes anti-sépticos e outros ingredientes que habilitam as defesas imunológicas do corpo animal a defender-se de doenças resistentes às drogas.

Recentemente, em Portugal, as Aloés foram trazidas à atenção por alegadas declarações bombásticas feitas através de uma receita de composição incompatível do ponto de vista químico baseada em falso conhecimento científico de Aloés, que curaria a mais antiga das doenças fatais, o cancro.

Compare com http://www.jardimdeflores.com.br/ERVAS/babosa1.html#topo2

 Essa receita seria a baba ou seiva de Aloés, (mesmo que seja realmente a Aloe Vera e alguns até usam a folha inteira), Mel e Whisky ou Conhaque. Claro que no Algarve se usa o Medronho. Existe até um líquido desses à venda que diz "Xarope de folha inteira de Erva-babosa, misturar com 1/2 Kg de Mel e 2 cálices de Medronho".



Eis o que diz a Comunidade Científica por parte das autoridades científicas americanas a respeito das receitas populares referidas:  

Essa receita (não a Aloe Vera adequadamente produzida por meios científicos ou com conhecimento de causa) é uma autêntica panaceia sem qualquer fundamento científico.

Por exemplo, no 12º Seminário Internacional Científico anual do I.A.S.C., realizado em 1993, entre outras confirmações científicas, o Dr.Wendell D. Winters, da Universidade do Texas (do Health Science Center), declarou que "as pesquisas agora confirmam que as substâncias da Aloe têm uma forte interacção com as células do nosso sistema imunológico". Felizmente que hoje em dia, se conhece mais acerca desta planta (sobretudo a partir de 1990), o que faz bem e o que faz mal. Mas, a Aloe quando usada na forma da tal receita acima mencionada, ela torna-se um perigo para a saúde pública.



Vejamos porquê:

          O Dr. Al Davis, Chairman (presidente) da "Science & Technical Committee" (Comissão Técnica e Científica) do I.A.S.C. declarou que o "produto natural usado por esta planta deve consistir na extracção do parênquima (gel ou a polpa) no interior da folha, com todas as medidas de esterilização sanitárias, desde os instrumentos passando pela folha em si, até ao gel. Por sua vez o gel tem que ser imediatamente estabilizado e preservado com conservantes alimentar aprovados. Tem que ser correctamente purificado. (Descontaminado das bactérias e outros contaminantes bem como remover os antraquinonas concentrados entre a casca e a polpa, com processos técnicos, nomeadamente a Aloina concentrada, “yellow sap”, uma droga laxativa, que os farmacêuticos conhecem quando transformada em Aloe-emodina, um pó castanho e poderoso purgante. É essa droga apenas que os dicionários portugueses comentam como sendo a Aloe Vera. Esta droga foi reprovada pela FDA na inclusão dos sumos de Aloe Vera a partir de 1990. Daí os sumos de marcas consideradas de confiança e aprovados actualmente nos E.U.A. serem incolores ou translúcidos.



Todo este processo, para ser eficaz e seguro, tem que ser feito em laboratórios próprios e por técnicos especializados). Continuando, o Dr. Al Davis comenta: “... Se não tomar precauções, o parênquima em si, desta folha, irá conter suficiente bactéria nociva que causarão diversos tipos de doenças... Porém, quando devidamente estabilizada (e purificada) oferece segurança e é muito eficaz...



 Outro problema é adicionar o mel ao gel da Aloe contaminado (seus açucares em forma de glicose), farão duplicar o crescimento das bactérias aí existentes... Misturando álcool, causará sérios problemas... Toda essa combinação é um desastre devido a todos os potenciais problemas envolvidos...".



Já em 1988 o Engº.Clinton Howard, formado em química e bioquímica, e então presidente dos laboratórios Carrington E.U.A. alertava ao dizer que “essa droga laxativa (Aloína) causa irritações gástricas e é capaz de envenenar o sistema enzimático do revestimento do estômago”. Depois concluiu “Beber Aloe Vera com o «yellow sap» (Aloína concentrada, a resina oleosa que fica entre a casca e o Parênquima) não é boa ideia”.


Além do envenenamento do sistema enzimático das células e consequentes intoxicações, esta droga laxativa causa também úlceras, colites, diarreias prejudiciais e vómitos. A Aloína, bem como as bactérias da polpa, quando não purificada e descontaminada, podem causar graves lesões no fígado.


 É evidente que se misturar mel adequado (fonte de calorias) ao sumo (ou tónico) devidamente preparado, não lhe fará mal nenhum, mas se, como diz esta autoridade na matéria, Dr. Al Davis, “ao fazer tal mistura (num sumo aprovado laboratorialmente e sem álcool) há que beber imediatamente. Não se deve guardar (essa mistura) mesmo sendo no frigorífico”.



 Também outro dos técnicos responsáveis do I.A.S.C. o Sr. Ray Henry, referindo-se às bactérias existentes na polpa não purificada, “fazem com que as pessoas fiquem doentes...” e afirma em relação à Aloína (o complexo de maior número de polissacarídeos da Aloé Vera): “uma droga... laxativa, quando a folha é usada sem remover essa droga, causa sérios problemas...”.



 Portanto não é de admirar que pessoas adeptas daquelas receitas populares estejam sendo hospitalizadas um pouco por todo o país, com distúrbios orgânicos, nomeadamente dores de barriga, erupções na pele, cólicas e diarreias descontroladas acompanhadas de cãmbrias intestinais bem como problemas de fígado. Estes sintomas são nocivos e nada têm a ver com eliminação de toxinas.

Conpare com http://www.jardimdeflores.com.br/ERVAS/babosa1.html#topo2

 O organismo estatal da F.D.A. (Food and Drug Administration) dos Estados Unidos, incluindo a Associação Médica e a Associação Farmacêutica Americana, recomenda que a Aloe Vera não deve ser usada como laxativo porque causa efeitos nefastos na saúde.

Realmente a Aloe Vera quando preparada (descontaminada e purificada) de forma correcta tem propriedades medicinais cientificamente reconhecidas e benéficas para a saúde.

Informações especiais: ,
publicado por Doutor às 20:29
link do post | comentar | favorito
24 comentários:
De Anónimo a 3 de Janeiro de 2005 às 21:05
Olá.
O que eu gostava mesmo era de saber onde obter um "xarope" de aloé para tratamento de tumores...
InêsInês
</a>
(mailto:in_esa@hotmail.com)
De Anónimo a 9 de Outubro de 2004 às 01:02
Alguns produtos, que dizem conter Aloé, são certamente charlatanice. O difícil será saber quais são realmente bons. Para mim o detergente para a roupa, por exemplo, é uma forma de enrolar os trouxas. Em relação ao xarope acho que a posição da industria farmacêutica, é de não quer perder o monopólio. Opõem-se sempre a qualquer medicamentos natural. Será que os medicamentos feitos nos laboratórios nunca tem efeitos secundários? Vou levar o Selo do Alóe comigo. A ver se o meu blog melhora :D bjsMaria Papoila
(http://panquecas2.blogspot.com/)
(mailto:mariapapoila@sapo.pt)
De Anónimo a 8 de Outubro de 2004 às 23:17
Isso para mim é tudo mentira,a verdade que o governo tenta ocultar é esta: Aloé Vera é uma raça de Ets que se anda a infiltrar em tudo o que podem pra depois nos atacarem.. lol
Agora a sério...Finalmente já percebi que raio de planta era esta...OBRIGADOVampiric_soul
(http://istoeparvo.blogs.sapo.pt)
(mailto:ricardo_correia@hotmail.com)
De Anónimo a 8 de Outubro de 2004 às 12:24
Ainda bem q resultou :-D Vou levar o selo ;-) BjokasKris
(http://kristyynablog.blogs.sapo.pt/)
(mailto:kristyyna@sapo.pt)
De Anónimo a 7 de Outubro de 2004 às 13:08
Peço imensa desculpa por me ter eskecido do endereço... Ando na lua...lol
Aki vai: http://www.vickys.cjb.net/
Depois diz qq coisita ;-)
BjokasKris
(http://kristyynablog.blogs.sapo.pt/)
(mailto:kristyyna@sapo.pt)
De Anónimo a 6 de Outubro de 2004 às 22:11
o teu blog esta muito fixe, porque fala bastante do novo fenomeno aloe vera, que existe em depilatorios, dezodorizantes, iogurtes, etc. desconhecia por completo esta faceta da planta. beijossofia
(http://www.culturajovem.blogs.sapo.pt)
(mailto:omeublog1@sapo.pt)
De Anónimo a 6 de Outubro de 2004 às 12:52
Oi! Brigadu por me linkares, vou fazer o msm poix axo o blog mt interessante :-) Olha em relação akilo q perguntaste, ñ percebi. Manda-me 1 e-mail, ajudarei no q souber. BjinhosKris
(http://kristyynablog.blogs.sapo.pt/)
(mailto:kristyyna@sapo.pt)
De Anónimo a 2 de Outubro de 2004 às 22:50
Oi! Brigadu pla tua visita no meu blog. Gostei mt do teu, parabéns pla iniciativa, mt interessante. Continua assim, voltarei + vezes ;-) BjinhosKris
(http://kristyynablog.blogs.sapo.pt/)
(mailto:kristyyna@sapo.pt)
De Anónimo a 29 de Setembro de 2004 às 16:10
ola!olha dcp mas o teu blog num ficou inscrito no CONCURSO BLOG + oRIGINAL pk as avaliadoras axaram k o axunto do teu blog naum tinha mto a ver com o concurso..mas obrigada por participaresConcurso
(http://pnc.blogs.sapo.pt)
(mailto:kkk@iol.pt)
De Anónimo a 22 de Setembro de 2004 às 12:42
Aloé Vera tem flores amarelas, Aloé Arborenses tem a flor vermelha, é mais indicada para jardins, resiste melhor ao frio...eu
</a>
(mailto:as1535279@sapo.pt)

Comentar post

Informações especiais

produtos(13)

Lojas - Região centro(7)

lojas norte - porto(7)

Aloé Vera(5)

portaloe(5)

certificados(3)

lojas norte - aveiro(3)

feiras(2)

Máquinas(2)

leituras(1)

lojas norte - braga(1)

Promoções(1)

todas as tags

pesquisar

 

Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

Novidades

Fim de blog

Nozes de saponária

Artigos interessantes

Novos produtos Portaloe

Chufa - Milagre dietético

Yogurtes caseiros de soja...

Leite de Soja ( e outros)...

Feiras e exposições "Verã...

Atenção, Feira no Alente...

Centro Dietético " Sement...

Informações especiais

produtos(13)

Lojas - Região centro(7)

lojas norte - porto(7)

Aloé Vera(5)

portaloe(5)

certificados(3)

lojas norte - aveiro(3)

feiras(2)

Máquinas(2)

leituras(1)

lojas norte - braga(1)

Promoções(1)

todas as tags

Para sua informação

Amigos

blogs SAPO

subscrever feeds