Terça-feira, 21 de Setembro de 2004

Horchata de Chufas

 

                           Ph_div_1 003.jpg                     

"Concentrado de Chufas" 


Bebida centenária e tradicionalmente popular Mediterrânica, com sabor aproximado ao das amêndoas e avelãs.


Concentrado extraído de tubérculos chamados de "chufas", adicionado de água e frutose. Deliciosa e refrescante, é alternativa saudável ao leite, podendo também ser usado como alternativa ao leite condensado na confecção de batidos, bolos, panquecas, pudins e doçaria em geral. Indispensável para vegetarianos e vegans.


Valor nutritivo por 200 ml (1 copo) : 


Amido                                     1,12%
Gorduras vegetais               1,30%
Carboidratos                       12,60%
Proteínas                                0,35%
Sais minerais                        0,10%
Fibras                                       0,38%
Valor Energético                   132 calorias

 

O que são chufas? São amêndoas-da-terra ou castanhas de junquinha, também chamadas de chufa, e o termo chufa se aplica especificamente a cada um dos pequenos tubérculos semelhantes a castanhas produzidos pela junquinha-mansa ou chufa européia (Cyperus esculentus). Eles são encontrados a cerca de 5 a 8 centímetros abaixo da superfície do solo. A chufa é cultivada de julho a outubro, não apenas na Espanha, mas também no Oriente Médio e na África do Norte. Dali os árabes a trouxeram para a Espanha.

Grãos de Chufas

"O óleo essencial do Cyperus rotundus foi estudado em 1931 por Hooper (Kew Bulletin) e em 1935 por Hedge et Rao (Parfumerie Moderne, 1936) mas é aconselhável que tais estudos sejam iniciados novamente, com os meios modernos de pesquisas e não mais para descobrir perfumes, pois a época não o permite, mas estudar suas virtudes alimentares.

    O Cyperus rotundus .e conhecido como analéptico e afrodisíaco desde longo tempo, quando pouco desde 4.000 (quatro mil!) anos, pois foram encontrados seus tubérculos nos Lipogeus da XII dinastia do Egito; os indígenas algerianos o empregavam nesse sentido e figura como analéptico no "Repertoire des plantes Medicinales et Aromatiques d'Algerie" (1942) assim como nas Farmacopéias oficiais da França, da Dinamarca e do México.

    "O Cyperus esculentus é apenas uma forma melhorada pela cultura do Cyperus rotundus, e tudo o que se diz a favor do primeiro é aplicável tal e qual no segundo", (isto quer dizer que os tubérculos da tiririca merecem as virtudes que linhas atrás rifamos a favor da Chufa). E a favor da Chufa, escreve ainda o Dr. Gattefosse: "Na região de Valência (Espanha), a cultura da Chula é industrial; são preferidos os terrenos leves, frescos, senão úmidos, sendo que a irrigação só é praticada nos anos de secas prolongadas. Um tubérculo plantado produz anualmente diversas centenas; a colheita é feita em Setembro; duas outras capinas asseguram a limpeza da cultura.

    "A Chufa é principalmente aproveitada para o preparo da Orchata, bebida preferida por todas as classes da sociedade de Valência durante a estação calmosa.

    "Em 'Les plantes alimentaires'(Vol. IV, pág. 271) D. Bois ensina como é feita a orchata:  põem-se de molho os tubérculos durante algumas horas na água; eles enchem e amolecem; num pilão tornam-se numa massa feita uma papa. Acrescente-se um pouco de água morna e agite-se formando com o óleo que contém uma emulsão que logo é tamisada e separada por filtragem a suspensão coloidal, é esta açucarada e perfumada com canela. A orchata assim obtida é bebida fresca ou gelada em sorvetes.

    "Os tubérculos deste Cyperus, segundo Pieraerts, são também usados na Espanha para o preparo de um azeite de mesa de primeira ordem e com a qualidade de nunca rançar. "De acordo com o mesmo Pieraerts os tubérculos de Cyperus esculentus contém: matérias graxas 22%; matérias azotadas (a dizer amido, açúcar etc.) 49,93%. "Estes eloqüentes algarismos explicam o alto valor analéptico deste tubérculo, e também os efeitos afrodisíacos que haviam chamado a atenção dos antigos (Vitamina E) e que explicam o nome de Cyperus, tirado do grego "Cypeiros" de Cypris ou Vênus".

Muito usada na pesca da carpa, peixe que não resiste ao sabor este fruto da terra. Também pode ser semeada em campos para alimentar perús, animal que consome (e adora) este pequeno tubérculo.

Informações especiais:
publicado por Doutor às 20:25
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Metereologia em tempo real

Últimos comentários